Miojo

Miojo

Fomos resgatadas enquanto despretensiosamente passávamos pelo corredor, rumo a sala 5.  A emergência chegou antes de chegarmos ao nosso destino. Ela veio gritando:

— Dra. Brisa! Dra. Brisa! Vem cá no bloco!  

Entramos eu e Dra. Zabeinha. No sentido contrário a nós, vinha uma maca transportando um jovem senhor, coberto do pescoço para baixo. Na entrada do CTI pós cirúrgico aconteceu nosso encontro.

Ele ainda estava meio grogue da anestesia. Nós nos apresentamos e informamos que fizemos sua cirurgia e que tinha sido um enorme sucesso! O bicho de pé havia sido extraído com louvor e precisão. Ele soltou uma imensa gargalhada, mostrando toda a gengiva. Neste exato momento, um rapaz se aproximou e disse:

—  Deixa só eu dar uma palavrinha com ele?

—  E quem é o senhor?

— Eu sou filho dele. Ele é meu pai.

—  O senhor confirma essa informação? Perguntei ao suposto pai.

— Claro! Respondeu, já abrindo outra vez a gargalhada.

— Seu pai está ótimo! O bicho de pé foi extraído. Estava gordinho e bastante satisfeito. Disse Dra. Zabeinha.

O filho, então, abriu o mesmo e exato sorriso do pai. Constatamos a semelhança genética e o exame de DNA, mais instantâneo que miojo, foi realizado! Se você me perguntar qual a relação entre uma cirurgia, um bicho de pé e um exame de DNA, digo com certeza:

— Um desvio, um sorriso e 3 minutos!

Deixe uma resposta