INSCRIÇÕES ABERTAS PARA Escola de palhaçaria FEMININA 

O projeto “A palhaça vem hoje – Escola de palhaçaria” será uma formação gratuita voltada para meninas de 15 a 18 anos da Regional Leste de Belo Horizonte com o intuito de estimular o acesso a produção e formação cultural, o protagonismo e o empoderamento feminino, artístico e social. A formação consiste em aulas semanais, presenciais e com acessibilidade em libras, que acontecerão na sede do Instituto Hahaha, no bairro Santa Tereza. A primeira turma começará em março, com duração de cinco meses. Esse projeto é executado com fomento do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e patrocínio da Drogaria AraujoVale e Cemig. As inscrições para a formação estão abertas.

informações úteis

QUEM PODE PARTICIPAR?

Meninas de 15 a 18 anos da Regional Leste de Belo Horizonte/MG

QUAL É O FORMATO DA FORMAÇÃO?

 1ª TURMA

Período do curso:  março a julho, nas tardes de terças-feiras.
Carga-horária: 80 horas
Serão 20 encontros, uma vez por semana, de 4 horas

Local de realização: sede do Instituto Hahaha (Rua Estrela do Sul, 125, Santa Tereza-BH)

 2ª TURMA

Realização do curso: maio a setembro de 2022, nas tardes de quintas-feiras.
Período: 5 meses
Carga-horária: 80 horas.

CONHEÇA A EQUIPE DE PROFESSORAS

conteúdo programático

O eixo condutor deste curso é uma experiência de montagem em palhaçaria feminina. A metodologia foi elaborada pela equipe do Instituto Hahaha para criação de uma experiência prática e teórica, na qual as participantes do projeto poderão vivenciar o processo criativo em suas várias etapas: da formação (introdução à atuação em palhaçaria),  montagem, produção, iluminação até a apresentação da criação resultante. Desta forma, os vários segmentos que participam da criação e realização cênica serão abordadas, revelando um leque de profissões no campo da cultura e descortinando possíveis caminhos  profissionais . 

Os conteúdos são divididos em 5 módulos de 16 horas/aula, totalizando 80 horas de formação, ensaios e montagem. Os módulos comportam três formatos de atividades: aulas práticas de atuação em palhaçaria; oficinas temáticas associadas à formação em palhaçaria e a montagem; Café com arte, encontros que se centram em conversas e na projeção de material audiovisual relativo ao universo da palhaçaria e da cidadania. 

 

O trabalho se centra na recepção das alunas e na formação do grupo. O conteúdo artístico visa dar os primeiros passos rumo ao desenvolvimento das consciências espacial, temporal e  corporal. Para tanto serão associadas brincadeiras e  jogos tradicionais a práticas teatrais, aludindo-se desde o início do percurso, ao estado de jogo do palhaço. Para uma introdução aos princípios básicos da atuação,  partiremos  dos jogos teatrais de Viola Spolin, tanto por sua proposta pedagógica que constrói uma complexidade crescente nos elementos da cena (jogos de orientação, onde, o quê), quanto por sua proposta de integrar atuantes e plateia em uma análise técnica e focada dos exercícios. Associam-se a estas ferramentas,  jogos de impro, extremamente cativantes e integrativos para um grupo recém-formado.

Oficina do mês: oficina de iniciação à musicalização e ritmo. 

 

Serão apresentados de maneira mais direta dois elementos centrais para o desenvolvimento do projeto: a noção de estado (aqui, ainda basilar), e a introdução de alguns conceitos relativos à cidadania. Para o primeiro eixo, serão apresentadas noções de composição coletiva do espaço e da cena partindo de um estado, tendo como referência exercícios e  uma progressão de práticas inspiradas em Lecoq. As noções de escuta, introdução à composição da figura (quem), de gama (degraus da ação) também serão o foco nas partes preparatórias e nos exercícios de improvisação em duplas. Para apresentar a dramaturgia do palhaço será trabalhada a noção de “problema” – deflagração do problema – resolução do problema.

Evento: Café com arte

O terceiro módulo centra-se na construção das figuras  individuais, ou seja, na construção de cada palhaça. Serão desenvolvidas noções de composição de cena, entrada, ritmo, interação com o público, de ensaio, de partitura,  repetição, improviso e a relação entre esses elementos. Neste ponto, o universo do palhaço é o eixo central, e por isso entram em cena exercícios clássicos na formação em palhaçaria, desenvolvidos e/ou organizados por professores e atuantes da área como Ana Achcar, Andrea Macera, Jésus Jara, grupo LUME, além do repertório pessoal das  professoras em vivências e oficinas de palhaçaria, e decorrentes de sua prática no hospital. 

Oficina do mês: Construção de Figurino

“Que palhaça sou com o outro?” é o quarto módulo do curso que, como o nome aponta, concentra-se nas relações entre duplas e trios.  As entradas clássicas formam o principal instrumento pedagógico do módulo. Assim, as noções de composição de cena, entrada, ritmo, interação com o público, ensaio, e partitura, serão revisitadas em um exercício cênico apoiado em textos clássicos recolhidos por Biribinha, Mário Bolognesi ou Tristan Rémy. 

Oficina do mês: iluminação – Fase 1

No  último módulo – “Montagem do espetáculo” – o foco são os ensaios, formação das equipes de figurino, iluminação, atuação, e claro, a própria apresentação do resultado.   

Oficinas do mês: iluminação II e figurino II

 

mulheres na palhaçaria? sim, sim!

Na história da palhaçaria, a presença de mulheres a princípio era pequena, há apenas algumas referências de atrizes cômicas atuando no final do século XIX nos Estados Unidos e França. Foi somente no início da década de 40 que começaram a ter registros da atuação feminina. O ofício era, predominantemente, exercido por homens. Nota-se que a presença da mulher nesse cenário da comicidade foi de invisibilidade e repressão. Apesar disso, podemos destacar alguns nomes que fizeram e fazem história como Dercy Gonçalves, Zilda Cardoso e Lily Curcio.

O Instituto Hahaha está em processo de construção da formação e atuação de mulheres palhaças, e é por isso que ressalta a importância de uma escola só para mulheres, pois assim pode-se assegurar a atuação feminina no campo de atuação circense. Este curso será uma porta de entrada para despertar nas meninas o interesse pela continuidade na formação em palhaçaria ou outra função no mercado artístico. 

conheça quem torna este projeto possível: